Page Nav

HIDE

Gradient Skin

Gradient_Skin

Últimas notícias

latest

Vídeo: deputado estadual ataca jornalista Vera Magalhães em debate

Apoiador do candidato Tarcísio Freitas, em SP, abordou a profissional e a acusou falsamente de receber R$ 500 mil anuais da TV Cultura


Reprodução/Twitter

Um debate para o governo de São Paulo, realizado na noite de terça-feira (13/9), acabou marcado por mais um ataque à jornalista Vera Magalhães. Desta vez, o deputado estadual Douglas Garcia (Republicanos) a abordou enquanto ela estava sentada no espaço reservado aos profissionais que fariam perguntas aos candidatos.

Na imagem, é possível ver e ouvir que Magalhães e Garcia gravam as cenas com celulares e discutem. O deputado a acusa falsamente de receber R$ 500 mil anuais de salário da TV Cultura, quando, na verdade, a própria emissora divulgou o valor de R$ 22 mil mensais.

Garcia repete diversas vezes uma frase dita pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) em um debate para a Presidência da República: “A senhora é uma vergonha para o jornalismo brasileiro”. Magalhães, que teve de sair escoltada por seguranças do debate, repete que já publicou o contracheque, mas o deputado nega. Em alguns momentos, ele diz que está sendo agredido pela jornalista.

Veja as imagens:


Na madrugada desta quarta-feira (14/9), Vera Magalhães publicou um vídeo em que diz ter sido “agredida” por Garcia.

“Eu estava sentada na primeira fileira do debate, local destinado aos jornalistas que iriam fazer perguntas aos candidatos, quando esse senhor se ajoelhou na minha frente, começou a me filmar sem que eu percebesse, me xingar de ‘vergonha do jornalismo’, reproduzindo a fala do presidente Jair Bolsonaro no outro debate, dizendo que eu ganho R$ 500 mil por ano, quando isso não é verdade”, disse.

Ela repete que o salário é de R$ 22 mil, que o contrato é público e o deputado tem acesso.

“Ele veio mentir novamente, me acossar, me intimidar, achar que com isso vai me calar, vai me deixar ter medo. Isso não é aceitável. O Brasil é uma democracia. Uma democracia pressupõe imprensa livre”, afirmou Magalhães.

A jornalista também lembrou da pergunta feita ao candidato Ciro Gomes no outro debate, em que o presidente teria aproveitado para, segundo ela, a agredir: “Desde então, eu estou sofrendo ataques violentos e virulentos de uma base do bolsonarista autorizada pelo presidente da República. Porque ele me atacou e essa base se sente autorizada a repetir os ataques”.

A confusão no debate só terminou quando o diretor de redação da TV Cultura tomar o celular do deputado.

Confira em imagens publicadas nas redes sociais de Douglas Garcia:


Ambos afirmaram que vão registrar boletim de ocorrência pela situação. “Isso não é aceitável. Isso não configura democracia. Eu tive que sair escoltada por seguranças do Memorial da América Latina. Ele poderia ter me agredido. Não percebi quando ele, de maneira sorrateira e covarde, se aproximou de uma mulher para fazer isso”, acusou a jornalista.

“Questionei a Vera Magalhães sobre o contrato com a TV Cultura, ela perdeu a linha e chamou os seguranças”, apontou o deputado. “A Vera Magalhães está espalhando por aí que eu a agredi. Isso é mentira. Eu vou processar ela e quem divulgar isso por calúnia! Eu apenas a questionei educadamente, mas ela e seus amigos reagiram com agressividade”, postou Garcia em outra publicação.

Tarcísio Gomes de Freitas, candidato apoiado por Douglas Garcia e que participada do debate, divulgou nota em que lamenta e repudia o que ele chama de “agressão sofrida pela jornalista”.

Confira o post:


Por Leonardo Meireles - Metrópoles

Nenhum comentário

Agradecemos pelo comentário.