Page Nav

HIDE

Gradient Skin

Gradient_Skin

Últimas notícias

latest

Policial Militar e um homem foram mortos em ponto de venda de drogas na Grande SP

Polícia investiga porque o tiroteio teve início em Franco da Rocha. Suspeito fugiu e foi socorrido por parceiros, segundo testemunha Um poli...

Polícia investiga porque o tiroteio teve início em Franco da Rocha. Suspeito fugiu e foi socorrido por parceiros, segundo testemunha


Um policial militar identificado como Marlon Fernandes Meireles e outro homem, identificado apenas como Gustavo, morreram baleados após uma troca de tiros, na estrada Municipal Paranaíba, 6.500, em Franco da Rocha, na região metropolitana de São Paulo, por volta das 22h desta terça-feira (5).

Um terceiro homem, que também participou do tiroteio, ainda não foi identificado e nem localizado, segundo informações da Polícia Civil.

De acordo com informações da Record TV, o PM estava acompanhado de um homem. Eles chegaram ao local, um conhecido ponto de venda de drogas na região, em uma Fiorino Branca.

A dupla iniciou uma conversa com uma terceira pessoa que já estava no endereço. Após alguns instantes foi iniciada uma troca de tiros entre o policial e o homem.

O agente caiu ferido e Gustavo também foi alvejado. Ele ainda dirigiu por alguns metros, mas acabou colidindo o carro contra um muro. Ambos não resistiram aos ferimentos e morreram.

De acordo com a Policia Militar, a corporação foi acionada para atender uma ocorrência de disparo de arma de fogo.

Quando as equipes chegaram, encontraram o PM caído e o outro homem também baleado dentro do carro. Uma carteira com documentos foi encontrada no local e, por meio dela, Marlon foi identificado.

Testemunhas disseram aos policiais que o outro homem que participou da troca de tiros foi socorrido e levado em uma Saveiro prata.

A polícia investiga agora em qual unidade de saúde este homem pode ter sido atendido e o motivo que possa ter dado início ao tiroteio. Diversas cápsulas estavam espalhadas pelo chão. A área foi isolada para a perícia.

O caso foi registrado na Delegacia Central de Franco da Rocha.

Por Rodrigo Balbino, da Agência Record

Nenhum comentário