Page Nav

HIDE

Gradient Skin

Gradient_Skin

Últimas notícias

latest

GDF inaugura novo centro de detenção na Papuda com capacidade para 3 mil detentos

A nova unidade reunirá em um só espaço quatro centros de detenção provisória; internos, que hoje estão em regime provisório, começam a ser t...

A nova unidade reunirá em um só espaço quatro centros de detenção provisória; internos, que hoje estão em regime provisório, começam a ser transferidos do antigo CDP 1 para a nova unidade nos próximos dias


O Governo do Distrito Federal (GDF) inaugurou, nesta quinta-feira (29/4), a um novo centro de detenção no Complexo Prisional da Papuda. A nova unidade, que recebeu o nome de Desembargador George Lopes Leite é um complexo constituído por quatro centros de detenção provisória (CDPs I, II, III e IV ) e tem capacidade para 3,2 mil internos.

A nova unidade custou R$ 126 milhões, sendo que R$ 80 milhões são da União e R$ 46 milhões são oriundos dos cofres públicos do governo local. Ao todo, são 46 mil metros quadrados de área construída, que 16 pavilhões (módulos de vivência). A área compreende ainda em dois módulos de recepção e revista, dois de administração, dois de saúde, cinco guaritas e quatro reservatórios de água.

“Os centros de detenção provisória são a porta de entrada do sistema penitenciário e, nesse complexo, poderemos abrigar os internos com mais espaço, além de dar mais condições de trabalho aos policiais penais. São modernos centros de vivência que têm num só espaço a possibilidade de oferecer ao preso saúde, educação, alimentação e local para assistência jurídica”, garante o secretário de Administração Penitenciária do DF, Agnaldo Curado.

O novo espaço deve ajudar no controle da superlotação das celas. Conforme explica Curado, em tempos de pandemia – quatro detentos já morreram na Papuda em razão da covid-19 – ter um novo espaço para abrigar os detentos se faz necessária, já que a Papuda tem uma massa carcerária de 15 mil detentos.

“Portanto, seguimos todos os protocolos da saúde, além de contar com dois médicos e um grupo de enfermeiros da Secretaria de Saúde para acompanhar essa questão no dia a dia, entre outras ações”, afirma o secretário de Administração Penitenciária do DF. 

Por redação Estrutural on-line

Nenhum comentário