Page Nav

HIDE

Gradient Skin

Gradient_Skin

Últimas notícias

latest

CLDF realiza audiência pública para discutir criação da Universidade do DF

A proposta é do poder Executivo e visa atender à população com cursos de nível superior e tecnológicos; confira como foi a audiência  Mais u...

A proposta é do poder Executivo e visa atender à população com cursos de nível superior e tecnológicos; confira como foi a audiência 


Mais um passo foi dado no sentido da criação da Universidade do Distrito Federal, a UnDF. Desta vez, o assunto foi debatido em audiência pública, na Câmara Legislativa do DF (CLDF), na noite desta quinta-feira (16/4). Além dos deputados distritais, também participaram da audiência pessoas relacionadas ao ensino superior no DF e a população em geral. A transmissão foi feita através do canal da Casa no Youtube.

A criação da UnDF está sendo feita através do Projeto de Lei Complementar 34/2020 e é de autoria do Executivo. Pela proposta, a universidade teria cursos de graduação e também cursos voltados à capacitação tecnológica exigida pelo setor produtivo, além de se programar para ser um reforço de atuação em temas voltados à segurança pública, cidadania e à preservação do meio ambiente.

Uma das participantes da audiência, a diretora executiva da Fundação Universidade Aberta do Distrito Federal (FUNAB), Simone Benck, ressaltou que a criação de uma universidade já está previsto na Lei Orgânica do DF.

“O DF é uma das cinco Unidades da Federação que não têm uma universidade própria que possa contribuir para uma função social, corroborar com o desenvolvimento socioeconômico do DF e, principalmente, contribuir para a formação de cidadãos que retroalimentem tanto a gestão pública quanto os outros setores sociais”, disse Benck.

Outro que fez uso da palavra foi o deputado distrital, que também é professor universitário, Leandro Grass (Rede), que, ao argumentar sobre a trajetória que terá que a sociedade e autoridades terão que percorrer até a criação da UnDF, será recompensado quando a população passar a ter direito ao ensino superior que será oferecido na universidade.

“A universidade contemporânea não é estática, mas sim de movimento, e essencialmente democrática, pois efetiva direitos. Primeiramente, o direito à educação, mas também efetiva outros a partir da extensão, da interação com o território que ocupa e de sua relação com o Poder Público e a sociedade civil organizada”, salientou o deputado. 

Nenhum comentário