HIDE

Gradient Skin

Gradient_Skin

Últimas notícias

latest
Continua abaixo do anúncio
Butique-das-utilidades

Estrutural está no final da lista entre as cidades que estão cumprindo as recomendações de isolamento social. Veja !

Mesmo com 56% dos moradores cumprindo isolamento social, Estrutural está no final da lista entre as cidades que estão seguindo a recomendaç...

Mesmo com 56% dos moradores cumprindo isolamento social, Estrutural está no final da lista entre as cidades que estão seguindo a recomendação da OMS.

Foto da Agência Brasília
Matéria publicada pelo G1 DF.

Dados referentes a segunda-feira (13) apontam que Riacho Fundo II é região com maior adesão às medidas. SIA, Plano Piloto e Estrutural estão nas últimas posições.

O Distrito Federal está em primeiro lugar no ranking nacional de adesão às medidas de isolamento social, essenciais para evitar a propagação do novo coronavírus. Dados da empresa de tecnologia In Loco, referentes à última segunda-feira (13), apontam que o índice na capital é de 55,9%.

No entanto, a adesão a essas práticas muda de acordo com a região da capital e varia entre 51% e 91%. Em áreas como Riacho Fundo II, Varjão e Paranoá, o índice é bem maior e supera a taxa ideal de 70% indicada por especialistas em saúde.

Já regiões como o Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), o Plano Piloto e a Estrutural estão no lado oposto, com os menores índices de isolamento social na capital. Veja lista completa abaixo:

Índice de isolamento por região no DF

Região Índice de isolamento
Riacho Fundo II 91%
Varjão 82%
Paranoá 81%
Recanto das Emas 79%
Cruzeiro 72%
Lago Sul 71%
Jardim Botânico 71%
Candangolândia 70%
Santa Maria 69%
São Sebastião 68%
Riacho Fundo 68%
Sobradinho 68%
Itapoã 67%
Vicente Pires 65%
Brazlândia 63%
Lago Norte 62%
Ceilândia 62%
Sobradinho II 61%
Samambaia 61%
Sudoeste / Octogonal 60%
Guará 60%
Núcleo Bandeirante 60%
Taguatinga 59%
Planaltina 58%
Águas Claras 58%
Gama 57%
Estrutural 56%
Plano Piloto 52%
SIA 51%

Em busca dos 70%

O levantamento da empresa é feito em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) e usa o georreferenciamento de celulares. A análise usa informações de usuários dos aplicativos parceiros da companhia. Em todo o Brasil, são mais de 60 milhões.

Segundo a pesquisa, na última segunda, oito regiões do DF chegaram aos 70% ou ultrapassaram a taxa indicada por especialistas em saúde: Riacho Fundo II, Varjão, Paranoá, Recanto das Emas, Cruzeiro, Lago Sul, Jardim Botânico e Candongolândia.

Subsecretário de Saúde do DF reforça importância do isolamento social: 'Menos casos e menos óbitos'
No entanto, outras 21 não alcançaram essa meta de isolamento social. A população do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), com 51%, é a que menos respeita o isolamento, de acordo com os dados.

Em seguida, estão o Plano Piloto com 52% e a Estrutural, que alcançou 56% de adesão às medidas. Se comparados os dados do dia 13 de abril com os do último dia 6, é possível observar que houve uma redução no isolamento nessas regiões.

Na semana anterior, o SIA estava com 65% de adesão às medidas de isolamento, o Plano Piloto tinha 54% e a Estrutural havia ultrapassado a taxa indicada por especialistas, com 73%.

Casos de coronavírus por região

O último boletim divulgado pelo governo do DF aponta que, até a noite de quarta-feira (15), 696 pessoas haviam sido infectadas pelo coronavírus na capital. Dezessete morreram.

Os dados mostram que o Plano Piloto continua sendo a região com maior número de casos de coronavírus. São 178 pacientes diagnosticados com a Covid-19.

Águas Claras aparece em segundo lugar, com 71. Em seguida, o Lago Sul tem 62 casos da doença (veja tabela abaixo).

Casos de coronavírus por região administrativa
Região Dia 15 de abril
Plano Piloto 178
Águas Claras 71
Lago Sul 62
São Sebastião 42
Sudoeste/Octogonal 41
Guará 39
Lago Norte 20
Samambaia 20
Ceilândia 21
Vicente Pires 23
Taguatinga 19
Gama 19
Sobradinho I 16
Jardim Botânico 15
Parkway 10
Santa Maria 10
Cruzeiro 9
Recanto das Emas 4
Núcleo Bandeirante 6
Planaltina 6
Paranoá 3
Riacho Fundo I 2
SCIA (Estrutural) 2
Sobradinho II 1
Itapoã 1
Riacho Fundo II 0
SAAN 0
Fercal 0
Brazlândia 0
Varjão do Torto 0
Candangolândia 0

Medidas de contenção

Por conta do avanço do contágio do vírus, o governador Ibaneis Rocha (MDB) decretou uma série de medidas de isolamento para combater o novo coronavírus. As restrições, que deveriam acabar no dia 5 de abril, continuam válidas até maio.

Veja restrições abaixo:

Suspensão de eventos que precisem de alvará do GDF;
Suspensão das atividades de cinemas e teatros;
Fechamento de academias;
Mudança no atendimento de órgãos públicos;
Fechamento de parques, boates, feiras e shoppings;
Atendimento restrito ao público nas agências bancárias;
Fechamento de shoppings (exceto farmácias, laboratórios e clínicas)
Fechamento de lojas, bares e restaurantes;
Fechamento de salões de beleza, barbearias, esmalterias e centros estéticos;
Suspensão de missas, cultos e celebrações religiosas
Proibição do comércio ambulante em geral.
Os estabelecimentos que poderão continuar funcionando são:

Feiras permanentes listadas em decreto, desde que estejam abertas apenas lojas exclusivas de gêneros alimentícios, sendo proibido consumo no local
Clínicas médicas;
Clínicas odontológicas
Clínicas veterinárias (em casos de emergência);
Laboratórios;
Farmácias;
Funerárias e serviços relacionados;
Pet shops (caso tenham veterinários, vendam remédios ou produtos sanitários para animais);
Postos de combustíveis;
Supermercados;
Minimercados, mercearias e afins;
Comércio estabelecido de produtos naturais, bem como de suplementos e fórmulas alimentares, sem consumo no local;
Comércio estabelecido varejista e atacadista de hortifrutigranjeiros;
Lojas de materiais de construção e produtos para casa;
Padarias;
Fábricas e lojas de bolos caseiros e pães;
Atacadistas;
Peixarias;
Operações de delivery;
Oficinas mecânicas, exceto de lanternagem e pintura;
Concessionárias de veículos;
Estandes de compra e venda de imóveis;
Borracharias;
Agropecuárias (com venda de insumos, medicamentos e produto veterinários);
Serviço de tele-entrega em feiras permanentes e/ou populares;
Empresas de construção civil (sem atendimento ao público);
Lotéricas;
Agências bancárias
Lojas de conveniência em postos (sem consumo no local);
Empresas de tecnologia, exceto lojas de equipamentos e suprimentos de informática;
Lavanderias (exclusivamente no sistema de entrega em domicílio);
Floriculturas (exclusivamente no sistema de entrega em domicílio);
Empresas do segmento de controle de vetores e pragas urbanas;
Construção civil;
Óticas.

Por Afonso Ferreira e Pedro Alves

Nenhum comentário