Page Nav

HIDE

Gradient Skin

Gradient_Skin

Últimas notícias

latest

HISTÓRICO! PALESTRINAS SUPERAM BOCA JUNIORS E CONQUISTAM TÍTULO INÉDITO DA LIBERTADORES FEMININA

O PALMEIRAS É O CAMPEÃO DA CONMEBOL LIBERTADORES FEMININA 2022!


Foto: Staff Images Woman/CONMEBOL

Na noite desta sexta-feira (28), as Palestrinas conquistaram de forma invicta o título da principal competição de clubes do continente ao vencer o Boca Juniors-ARG por 4 a 1, no Estádio Rodrigo Paz Delgado, em Quito, no Equador. Os gols da decisão foram marcados por Ary Borges, Byanca Brasil, Poliana e Bia Zaneratto – o resultado quebrou uma invencibilidade de 25 jogos do atual bicampeão argentino em 2022.

Participando da Libertadores Feminina pela primeira vez na história, as atletas comandadas pelo técnico Ricardo Belli venceram todos os seis duelos que disputou em solo equatoriano, marcando 19 gols e sofrendo apenas três (melhor defesa do torneio). Na primeira fase, diante de Libertad Limpeño-PAR, Independiente Dragonas-EQU e Universidad de Chile-CHI, as Palestrinas ficaram na primeira colocação do grupo C e com a segunda melhor campanha geral, atrás do Deportivo Cali-COL só pelos critérios de desempate.

Nas quartas de final, o Palmeiras despachou o Santiago Morning-CHI com um gol aos 51 minutos do segundo tempo para garantir a vitória por 2 a 1, enquanto Corinthians e Ferroviária, outros representantes brasileiros na competição, foram eliminados. Na semifinal, o Verdão impôs sua força mais uma vez e bateu o América de Cali-COL por 1 a 0.

Com o título, as Palestrinas também conquistaram a vaga para a próxima edição da Libertadores. Pelo segundo ano consecutivo, o Alviverde estará na maior competição continental com as equipes masculina e feminina.

MARCAS INÉDITAS NA HISTÓRIA DO CLUBE

Esta foi a primeira vez que o Palmeiras venceu uma equipe argentina em uma decisão em toda a história do futebol profissional do clube, incluindo a modalidade masculina, que foi vice-campeã diante de Estudiantes (Libertadores de 1968), Boca Juniors (Libertadores de 2000) e Defensa y Justicia (Recopa Sul-Americana de 2021).

A maior goleada palestrina aconteceu na segunda rodada da fase de grupos perante o Independiente Dragonas-ECU, por 7 a 0, com gols marcados por Ary Borges, Andressinha (duas vezes), Byanca Brasil, Bia Zaneratto e Bruna Calderan (duas vezes) – o placar elástico também garantiu a vaga antecipada para as quartas de final.

Individualmente, a meio-campista Duda Santos teve a honra de ser a autora do primeiro gol alviverde em uma Libertadores Feminina ao abrir o placar na estreia diante do Libertad Limpeño-PAR, de falta. Já a atacante Bia Zaneratto se tornou a primeira capitã palmeirense a levantar uma taça continental, além de ser uma das artilheiras do time na competição com três gols, ao lado de Ary Borges e Byanca Brasil, e seguidas de Andressinha, Bruna Calderan e Poliana.

E com os gols na final e na semifinal, Ary também assumiu o posto de vice-artilheira do futebol feminino do Verdão em todos os tempos, ao lado de Bia Zaneratto, ambas com 32 bolas na rede e atrás apenas de Carla Nunes, que marcou 37 vezes entre 2019 e 2020.

O jogo

O Verdão começou a partida se lançando ao ataque e com mais posse de bola. Aos quatro minutos, Ary Borges recebeu dentro da área e mandou uma bomba, de perna canhota, para abrir o placar da partida. Apesar de estar bem no duelo, 10 minutos depois o Boca Juniors marcou o tento de empate.

Com 25 minutos, Bia Zaneratto carregou a bola, limpou a jogada e arriscou, mas a bola parou do lado de fora da rede. Quatro minutos depois, Julia Bianchi cabeceou de dentro da área e a bola passou perto do gol argentino.

Decidido a levar o título para o Brasil, o Alviverde voltou a todo vapor para a segunda etapa. Aos três minutos, Bruna Calderan cruzou bola aérea para Byanca Brasil, que testou e voltou a deixar o Palmeiras à frente do placar.

As Palestrinas seguiram embaladas no segundo tempo e, aos 12 minutos, Andressinha levantou bola para Poliana que, de cabeça, ampliou o resultado para o Verdão. Aos 26, a zagueira quase marca o seu segundo tento na partida, após invadir a área e mandar a bola para a rede ao lado de fora.

Aos 90 minutos, o gol que deu números finais à goleada e selou o título inédito das Palestrinas: Bia Zaneratto venceu disputa de bola com duas zagueiros, deixou a goleira na saudade e empurrou a bola para o fundo do gol.

Foto: Staff Images Woman/CONMEBOL

Palmeiras Feminino: Jully, Bruna Calderan, Poliana, Julia Bianchi, Katrine (Juliana Passari), Duda Santos (Carol Rodrigues), Ary Borges, Camilinha (Day Silva), Bia Zaneratto, Byanca Brasil (Patricia Sochor) e Andressinha. Técnico: Ricardo Belli.

ÁPICE DE UM PROJETO VITORIOSO

O título sul-americano obtido nesta sexta (28) coroa um projeto iniciado há menos de quatro anos e que segue em constante evolução. Com o apoio da Prefeitura de Vinhedo (SP), o Palmeiras reativou a modalidade feminina em 2019 e, desde então, disputou quatro finais, com três títulos (Libertadores 2022 e Copa Paulista em 2019 e 2021) e um vice (Brasileiro de 2021).

Logo em sua primeira temporada, as Palestrinas garantiram o acesso para disputar a Série A1 do Campeonato Brasileiro e conquistaram a Copa Paulista – a goleira Jully e a meia Juliana Passari são as atletas do atual elenco remanescentes daquela época.

Em 2020, com os reforços das meias Ary Borges e Camilinha, a equipe foi às semifinais tanto do Paulista quanto do Brasileiro. No ano seguinte, chegou boa parte do elenco atual, como as laterais Katrine e Bruna Calderan, as meias Duda Santos e Julia Bianchi e as atacantes Bia Zaneratto, Carol Rodrigues e Chú Santos, além da promoção das Crias da Academia Awanny, Carolzinha e Giovana, que ajudaram a conduzir o time ao bi da Copa Paulista e ao vice-campeonato brasileiro, com a consequente vaga inédita para a Libertadores.

Nesta temporada, o Verdão foi reforçado pela goleira Amanda, as zagueiras Day Silva e Poliana, as meias Sâmia e Andressinha e as atacantes Byanca Brasil e Patricia Sochor, alcançando mais uma semifinal de Brasileiro e o título da Libertadores. A equipe ainda está disputando a primeira fase do Campeonato Paulista e ocupa a quarta colocação com 16 pontos em sete jogos (cinco vitórias, um empate e uma derrota).

Confira a trajetória vitoriosa das Palestrinas na CONMEBOL Libertadores Feminina:

Primeira fase
14/10 – Palmeiras 3 x 0 Libertad Limpeño-PAR – Estádio Banco Guayaquil
Gols: Duda Santos, Byanca Brasil e Bia Zaneratto

17/10 – Ind. Dragonas-ECU 0 x 7 Palmeiras – Estádio Rodrigo Paz Delgado
Gols: Ary Borges, Andressinha (duas vezes), Byanca Brasil, Bia Zaneratto e Bruna Calderan (duas vezes)

20/10 – Palmeiras 2 x 1 Universidad de Chile-CHI – Estádio Rodrigo Paz Delgado
Gols: Carol Rodrigues e Poliana

Quartas de final
23/10 – Palmeiras 2 x 1 Santiago Morning-CHI – Estádio Rodrigo Paz Delgado
Gols: Katrine e Day Silva

Semifinal
26/10 – Palmeiras 1 x 0 América de Cali-COL – Estádio Rodrigo Paz Delgado
Gol: Ary Borges

Final
28/10 – Palmeiras 4 x 1 Boca Juniors-ARG – Estádio Rodrigo Paz Delgado
Gols: Ary Borges, Byanca Brasil, Poliana e Bia Zaneratto

Informações do Departamento de Comunicação do Palmeiras

Nenhum comentário

Agradecemos pelo comentário.