Page Nav

HIDE

Gradient Skin

Gradient_Skin

Últimas notícias

latest

PCDF prende homem que estuprou a filha dos 7 aos 9 anos

O foragido foi localizado no Ceará, após investigações da 8ª Delegacia de Polícia, em conjunto com a Coordenação de Inteligência (CI) A Polí...

O foragido foi localizado no Ceará, após investigações da 8ª Delegacia de Polícia, em conjunto com a Coordenação de Inteligência (CI)



A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu, nesta quinta-feira (19/5), um homem suspeito de estuprar a filha dos 7 aos 9 anos. O criminoso era considerado foragido e foi localizado, no Ceará, após investigações da 8ª Delegacia de Polícia (Estrutural), em conjunto com a Coordenação de Inteligência (CI).

A ação teve apoio da Polícia Civil do Ceará. O preso foi autuado pelo crime de estupro de vulnerável e será transferido para Brasília.

Atualmente, a vítima tem 14 anos. Segundo ela, os abusos aconteciam em datas comemorativas, já que os pais da vítima eram divorciados há 14 anos; por isso, a menina entrava em contato com o agressor nessas ocasiões.

A garota desencadeou uma crise de ansiedade há cerca de três meses. O motivo foi bem semelhante ao que ela viveu: a irmã de 18 anos contou que o pai tentou abusar dela e, por causa disso, desde os 11 anos, não queria mais vê-lo ou falar com ele. “Ela ficou ansiosa, passou mal e está fazendo tratamento médico”, contou a mãe.

As histórias vieram à tona em abril desde ano. “Ela nunca pôde falar para ninguém. Ele [o pai] falava que era carinho de pai pra filha. Por isso, não era para ela contar para ninguém”, lamenta.

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) confirmou o caso, e a Justiça expediu um mandado de prisão preventiva. A mãe também afirmou que o homem descumpriu medidas protetivas expedidas em 24 de abril deste ano. “Ele ficou mandando mensagens no Facebook, no Instagram, no WhatsApp”, relata.

Trabalho

Comerciantes da Feira dos Importados contaram ao Metrópoles que o homem fazia bicos no local como “correta” — responsável por abordar clientes na entrada da feira e levá-los às barracas “parceiras”.

Procurada, a Cooperfim, administradora da Feira dos Importados, informou que não tem vínculo com o foragido e que não poderia confirmar os serviços do homem no local, ainda que a prática seja proibida no comércio e que realiza operações regularmente para coibi-la.

Por Mirelle Pinheiro e Carlos Carone do Metrópoles

Nenhum comentário