Page Nav

HIDE

Gradient Skin

Gradient_Skin

Últimas notícias

latest

DO SAGRADO AO PROFANO: Ex-pastora abandona igreja para se tornar modelo sensual no OnlyFans

Nikole Mitchell revelou que os ensinamentos na igreja têm ajudado a atrair outros “fiéis”   Uma mudança radical na vida de Nikole Mitchell q...

Nikole Mitchell revelou que os ensinamentos na igreja têm ajudado a atrair outros “fiéis”

 

Uma mudança radical na vida de Nikole Mitchell que abandonou a vida religiosa para ingressar no mundo do OnlyFans, ou seja uma rede social por assinatura onde a ex-pastora passou a ganhar muito dinheiro.
 
Durante entrevista ao talk show This Morning, a produtora de conteúdo adulto contou que a igreja contribuiu para descobrir essa nova atividade. “Descobri que esses trabalhos têm mais em comum do que imaginamos”, revelou.
 
Questionada sobre o que a levou a deixar uma vida espiritual para se tornar uma stripper e vender fotos e vídeos, ela explicou. “Sou uma ex-pregadora que virou modelo. Agora, ganho mais dinheiro em um mês do que costumava ganhar em um ano”, afirmou.

A modelo sensual afirmou, ainda, que os ensinamentos na igreja têm ajudado a atrair outros “fiéis”.  “Moro onde fé e fetiches se encontram, onde auto expressão e realização sexual se encontram, sem trocadilhos. É profundamente curador e libertador”, acrescentou.
 
E como esperado, a mudança de vida da ex-pastora não foi recebida por boa parte dos integrantes da igreja, mas Nikole Mitchell diz não se importar com isso. “Fomos criados em um mundo em que ou algo é bom, ou ruim. Certo ou errado, preto ou branco. Ficamos nos sentindo divididos entre duas escolhas quando sabemos que deve haver uma opção melhor”.

Veja a publicação no Instagram da ex-pastora:



Tradução do texto acima:

Eu costumava pregar sermões, agora sou pago para tirar minhas roupas.

E descobri que s * x e trabalho pastoral têm mais em comum do que imaginamos.

Fomos criados em um mundo que gosta de fazer coisas. Ou algo é bom ou ruim, certo ou errado, preto ou branco. Ficamos nos sentindo divididos entre duas escolhas quando sabemos que deve haver uma opção melhor.

Sou uma pregadora que virou modelo apenas F @ ns, onde ganho mais dinheiro em um mês do que costumava ganhar em um ano. E eu moro no “meio”.

Eu moro onde s * xualidade e espiritualidade colidem, onde fé e fetiches se encontram, onde auto expressão e realização pessoal se encontram (sem trocadilhos;).

Meu site privado é o espaço mais incrível onde meus fãs e eu podemos trazer todos nós para a mesa, sem nenhuma parte de nós ser excluída.

É profundamente curador e libertador.

Por muito tempo, as pessoas tiveram que escolher sua espiritualidade ou sua s * xualidade, e isso as deixou se sentindo desconectadas, desiludidas e decepcionadas. Porque não somos unidimensionais!

Somos seres espirituais e espirituais, concebidos para viver vidas inteiras e integradas. Quando somos forçados a escolher apenas uma parte de nós mesmos, acabamos nos sentindo fragmentados e frustrados. É por isso que o trabalho que faço é tão poderoso. Ajuda a preencher a necessidade de espaços onde todas as partes de nós mesmos sejam bem-vindas.

Fiquei surpresa e feliz ao descobrir que muitas das habilidades que usei na igreja são as mesmas que uso em meu trabalho adulto.

Há uma fome nos humanos de serem vistos, conhecidos e amados. Em minha igreja, procuramos atender a essas necessidades com reuniões sociais, atividades familiares e um vínculo entre crenças religiosas semelhantes. Em meu trabalho adulto, procuro atender a essas necessidades com uma conexão emocional, conversa contínua e conteúdo personalizado.

Em ambas as situações, procuro atender a essa fome dentro deles: para que sejam vistos, conhecidos e amados. Para mim, isso é um trabalho sagrado. Trabalho que muda vidas.

(Texto traduzido do Instagram de Nikole Mitchell )

Da redação Estrutural On-line

Um comentário

  1. E ela ainda é pastora ou não? Seja pelo sim ou pelo não, parece aquele trecho da Bíblia quê cita sobre os falsos profetas. Eu já vi um pedacinho do inferno e, se eu pudesse mostrar à essa gente, pensariam duas vezes antes de interpretarem a palavra como bem querem.

    ResponderExcluir