Page Nav

HIDE

Gradient Skin

Gradient_Skin

Últimas notícias

latest

Meia Ponte entra em Nível Crítico III após 84 dias sem chuva

A mudança de nível ocorreu porque vazão de escoamento é menor ou igual a 3 mil l/s. As leituras das vazões foram feirtas nos horários das 07...

A mudança de nível ocorreu porque vazão de escoamento é menor ou igual a 3 mil l/s. As leituras das vazões foram feirtas nos horários das 07h e 17h, observadas no Ponto de Controle nos últimos 7 dias, consequência de 81 dias sem a ocorrência de chuvas na região

Na ocorrência do Nível 3, uma das ações adotadas é que indústrias, empresas e propriedades rurais que captam água do rio devam diminuir a demanda pela metade (Foto: Semad-GO)

A Bacia do Rio Meia Ponte chegou nesta sexta-feira (03/09) ao Nível Crítico III, com uma vazão média diária de 2.714 l/s. A mudança ocorreu após leituras das vazões nos horários das 07h e 17h, observadas no Ponto de Controle nos últimos 7 dias, consequência de 81 dias sem a ocorrência de chuvas na região.

De acordo com a Deliberação nº 017/2021 de 20 de abril de 2021, do Comitê de Bacia do Rio Meia Ponte, e que define as diretrizes para o enfrentamento da crise hídrica a montante de Goiânia, a mudança de nível ocorreu porque vazão de escoamento é menor ou igual a 3 mil l/s. O alerta é da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad).

Entenda os níveis de classificação:

  • Nível de Atenção – vazão de escoamento menor ou igual a 12.000 L/s;
  • Nível de Alerta – vazão de escoamento menor ou igual a 9.000 L/s;
  • Nível Crítico 1 – vazão de escoamento menor ou igual a 5.500 L/s;
  • Nível Crítico 2 – vazão de escoamento menor ou igual a 4.000 L/s;
  • Nível Crítico 3 – vazão de escoamento menor ou igual a 3.000 L/s
  • Nível Crítico 4 – vazão de escoamento menor ou igual a 2.000 L/s.

Na ocorrência do Nível de Criticidade 3, serão adotadas as seguintes providências, conforme estabelecido na Deliberação.

  • Reduzir em 50% as vazões de captação dos usuários de águas subterrâneas, bem como dos usuários de águas superficiais captadas diretamente nos cursos d´água a montante do ponto de controle, outorgados ou dispensados de outorga (detentores de declaração de uso insignificante), para todas as finalidades de usos, exceto para abastecimento público e dessedentação animal;
  • Reduzir gradativamente a vazão de captação para o abastecimento público da Região Metropolitana de Goiânia (RMG) até mil l/s, com a vazão remanescente a jusante do ponto de controle podendo chegar até o mínimo de mil l/s;
  • Ampliar a articulação para campanha sobre uso racional da água e continuar a divulgação da situação da Bacia à sociedade e usuários de água (meios de comunicação e mídias sociais);
  • Dar continuidade às reuniões com os usuários de água da Bacia, de forma articulada com as prefeituras, associações de produtores rurais e outras entidades de interesse que atuam na bacia hidrográfica;
  • Dar continuidade às campanhas de fiscalização e orientação aos usuários de água.

Fonte: Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad-GO)

Nenhum comentário