Page Nav

HIDE

Gradient Skin

Gradient_Skin

Últimas notícias

latest

Armazém dos móveis

Banner-armaz-m-dos-m-veis

Confira as razões da exoneração do Secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto

Governador Ibaneis Rocha assume a pasta até a nomeação de um novo secretário Depois de ficar insustentável a situação Osnei Oumoto, o Govern...

Governador Ibaneis Rocha assume a pasta até a nomeação de um novo secretário


Depois de ficar insustentável a situação Osnei Oumoto, o Governador Ibaneis Rocha (MDB), exonerou o secretário de Saúde do DF, conforme publicado no Diário Oficial, nesta sexta-feira (27). Por conta dessa decisão, o mandatário assume de maneira provisória, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF).
 
O desgaste de Okumoto no cargo teve início com a morosidade no calendário de vacinação,  contra a Covid 19, o que influenciou no ranking de imunização nacional, colocando o DF nas últimas colocações.
 
A mudança de cenário somente ocorreu após o próprio governador cobrar uma atuação mais efetiva de Okumoto, e dar entrada com uma ação judicial que exigia celeridade do Ministério da Saúde, para reposição de 290 mil doses devidas ao DF. A pressão exercida pelo chefe do executivo deu resultado e o DF ocupa neste momento a segunda colocação na cobertura vacinal da primeira dose no país.
 
Apesar disso, a crise na Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), não parou por aí. O clima ficou desagradável, depois que o Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF), fez uma recomendação ao secretário de Saúde, Osnei Okumoto, que se pronunciasse no prazo de 30 dias sobre um contrato realizado sem licitação, para a gestão de leitos de UTI para Covid-19 em hospitais do DF.
 
Okumoto não prestou os esclarecimentos ao TCDF e essa atitude irritou o Governador Ibaneis Rocha que de imediato solicitou a sua exoneração. O secretário de saúde já tinha perdido o comando da pasta e os casos de desmandos eram constantes.
 
O desafio de Ibaneis Rocha é fazer uma escolha cirúrgica para assumir a secretaria de saúde. Nos bastidores, foram ventilados dois nomes, porém não foram aprovados pelo chefe do executivo que segue no comando da pasta interinamente.
 
A primeira opção, seria do secretário de Governo, José Humberto Pires Pesão. O  segundo nome, rejeitado pelo governador, foi o do médico ortopedista Alberto Aguiar Santos Neto.
 
Sem perder tempo, o governador já despacha a partir desta manhã de sexta, na Secretaria de Saúde. Ibaneis quer fazer um mapeamento detalhado de todos contratos assinados na gestão Okumoto. E a faxina não para por aí. A previsão é que seja assinado a exoneração de alguns sub-secretários setoriais da saúde.
 
Um nome forte para assumir a pasta é da ginecologista Lucilene Maria Florêncio de Queiroz. Atualmente, a médica ocupa o cargo de Superintendente da Região de Saúde Oeste responsável pelos Hospitais Regionais de Ceilândia e Brazlândia, região que conta com uma população de quase um milhão de pessoas.

Da redação Estrutural On-line

Nenhum comentário