Page Nav

HIDE

Gradient Skin

Gradient_Skin

Últimas notícias

latest

Armazém dos móveis

Banner-armaz-m-dos-m-veis

Codhab determina retorno de servidores ao trabalho presencial

GDF trabalha para retomar as atividades presenciais nos órgãos públicos da capital O presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional...

GDF trabalha para retomar as atividades presenciais nos órgãos públicos da capital


O presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab), Wellington Luiz, determinou que os servidores retornem ao trabalho presencial. A medida foi publicada no Diário Oficial (DODF) desta terça-feira (6) e já está em vigor.

Alguns servidores estão isentos da determinação. São eles:

  • às servidoras requisitadas, empregadas, estagiárias e colaboradoras gestantes;
  • aos servidores requisitados, empregados, estagiários e colaboradores com histórico de hipersensibilidade ao princípio ativo, bem como a qualquer dos excipientes da vacina contra a COVID-19;
  • aos servidores requisitados, empregados, estagiários e colaboradores que apresentaram reação anafilática a vacina contra a COVID-19;
  • aos servidores requisitados, empregados, estagiários e colaboradores portadores de comorbidades descritas no Plano de Contingência da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal, disponível no site da Secretaria de Saúde;
  • aos servidores requisitados, empregados e colaboradores acima de sessenta anos.

A medida considera a necessidade em dar continuidade nas atividades relativas ao atendimento da população envolvida na execução da política habitacional de interesse social do DF. A Codhab afirma que “vem adotando os protocolos e medidas de segurança recomendados pelas autoridades sanitárias”.

Na semana passada, o governador Ibaneis Rocha determinou que os servidores públicos de todos os órgãos do DF retornem ao trabalho presencial 15 dias após tomarem a segunda dose da vacina contra a covid-19. O Executivo também trabalha para retomar as aulas presenciais na rede pública de ensino no próximo dia 2 de agosto.

Por Willian Matos - Jornal de Brasília

Nenhum comentário