Page Nav

HIDE

Gradient Skin

Gradient_Skin

Últimas notícias

latest

Iges paga R$ 3,5 milhões para acelerar obras de UPAs

Com o pagamento, as construtoras correm para concluir os projetos Obra da UPA de Ceilândia está em ritmo acelerado. Foto: Davidyson Damascen...

Com o pagamento, as construtoras correm para concluir os projetos

Obra da UPA de Ceilândia está em ritmo acelerado. Foto: Davidyson Damasceno

O Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF) quitou todos os débitos com as construtoras das unidades de pronto atendimento (UPAs) que estão sendo erguidas em sete regiões administrativas. O pagamento, da ordem de 3,5 milhões, foi feito na quarta-feira (10), depois da assinatura do termo de compromisso entre a Secretaria de Saúde do DF e o instituto.

A celebração do documento, que vai acelerar o ritmo de construção em todas as obras, formaliza que o instituto administre a obra e providencia toda a mobília e instalação de equipamentos necessários para atender a população.

“Estamos trabalhando para que todas as upas sejam entregues o mais rápido possível, desafogando os hospitais públicos e permitindo aumentar a qualidade do atendimento, conforme determinação do governador Ibaneis Rocha”, disse o presidente-interino do Iges, Marcelo Barbosa.

Cada UPA foi projetada para atender 4,5 mil pessoas por mês de urgência e emergência e possui dois leitos de unidade de terapia intensiva (UTI), seis leitos de observação com suporte ventilatório e três consultórios. Oferecerá também exames laboratoriais de urgência e raios X.

O custo estimado das novas UPAs, incluindo equipamentos, é de pouco mais de R$ 46 milhões. De acordo com relatório da Diretoria de Administração e Logística do Iges-DF, o instituto já tinha pago aproximadamente R$ 13 milhões do total estimado.

Atualmente, a rede pública de saúde conta com seis UPAs, que funcionam em regime de 24 horas e são administradas pelo Iges desde 2019. Elas ficam nas seguintes regiões administrativas: Ceilândia, Núcleo Bandeirante, Recanto das Emas, Samambaia, São Sebastião e Sobradinho.

Nenhum comentário