HIDE

Gradient Skin

Gradient_Skin

Últimas notícias

latest
Continua abaixo do anúncio
Butique-das-utilidades

Projeto sobre crime contra jornalista é ampliado

Conselho de Comunicação do Congresso apoia federalização   O presidente do conselho, dom Orani Tempesta, disse que a federalização dess...

Conselho de Comunicação do Congresso apoia federalização

  O presidente do conselho, dom Orani Tempesta, disse que a federalização desse tipo de crime é importante para melhorar a apuração dos fatos em casos de violência contra jornalistas e comunicadores. Ele frisou que o grupo pedirá celeridade na tramitação do projeto, de autoria do deputado Delegado Protógenes (PCdoB-SP).

- Com essa ampliação, procuramos contemplar outros grupos que atuam na área jornalística. Pedimos para abrir para outras categorias e recomendamos a federalização para que haja melhor apuração dos crimes cometidos contra comunicadores. Isso ajudará a garantir a liberdade de expressão - disse dom Orani.

O representante dos trabalhadores no Conselho, Nascimento Silva, citou casos de assassinatos de comunicadores que não foram devidamente apurados e debitou a falha a problemas com policiamento local, especialmente em pequenos municípios.

- Como vamos averiguar quem está por trás desses crimes? Com a federalização do crime, entra a Polícia Federal para investigar, o que é fundamental. Se depender da polícia local, as dificuldades serão grandes, porque em alguns casos há conluio com o poder público que está sendo denunciado pelo jornalista ou radialista - disse Nascimento Silva.
A aprovação do Projeto de Lei que federaliza crimes contra jornalistas, com o intuito de permitir investigação célere e imparcial com participação a Polícia Federal, foi defendida ontem pelo Conselho de Comunicação Social do Congresso, que se reuniu para aprovar moção de apoio à votação da proposta. O colegiado, órgão consultivo do Senado, solicitou que sejam incluídas no projeto categorias que exercem profissões similares à de jornalista, como radialistas e blogueiros. ...
 
Por Júnia Gama
Fonte: O Globo - 02/04/2013

Nenhum comentário